Crescimento da hotelaria desacelera em Janeiro — INE

No passado mês de Janeiro, os principais indicadores da hotelaria nacional voltaram a apresentar crescimento, ainda que se note uma desaceleração face a Dezembro de 2017.

O INE registou uma subida nos hóspedes de 3,7% (+11,5% em dezembro) para um milhão, e nas dormidas de 5,1% (+10% em dezembro), na comparação homóloga. "O mercado espanhol (quota de 8,6%) cresceu 4%, abrandando face aos crescimentos significativos verificados em Dezembro (21,2%) e em Novembro (15,4%)", refere o documento.

"As dormidas por parte dos visitantes estrangeiros continuam a ser o indicador mais positivo e o principal impulsionador do crescimento turístico no Centro de Portugal", verificando-se que, entre Janeiro de 2017 e Janeiro de 2018, as dormidas de estrangeiros aumentaram 16,46%, para 79.608 (tinham sido 68.354 no primeiro mês de 2017). Comparativamente, o crescimento nas dormidas de estrangeiros a nível nacional foi de 4,30%, ou seja, cresceram quatro vezes mais no Centro de Portugal do que na globalidade do País.

O Algarve foi a única região a registar uma quebra nas dormidas de turistas estrangeiros, em 2,4% ou 9,6 mil, para 390,3 mil, valendo o mercado dos residentes em Portugal com um aumento em 12,6% ou 9,6 mil, para 86,2 mil.

A contribuir para este comportamento estiveram as dormidas registadas pelos turistas oriundos do estrangeiro.

"A estada média (2,47 noites) aumentou 1,4% (+3,9% no caso dos residentes e -0,1% nos não residentes)".

Em relação aos proveitos, houve igualmente uma desaceleração.

No mesmo mês, os proveitos de aposento subiram 14% (+21,0% no mês anterior) e atingiram 96,2 milhões de euros. "São também de destacar as evoluções dos mercados norte-americano (+22,0%) e brasileiro (+15,3%)", acrescenta o INE.

Os hotéis foram o tipo de estabelecimento mais procurado, representando 72,8% do total de dormidas em Janeiro, subindo 6,4% face a igual mês de 2017, com destaque para os hotéis de três estrelas, que tiveram um crescimento de 8,8%, bem como para o aumento de 11,2% nas dormidas em apartamentos turísticos, que representaram 5,5% do total.

O mercado britânico (17,7% do total de dormidas de não residentes) "manteve a tendência dos últimos meses e recuou 7,2%", enquanto as dormidas de hóspedes alemães (13,4% do total) verificaram uma ligeira redução de 0,5% em janeiro, após +6,5% em dezembro.

As dormidas concentraram-se principalmente na área metropolitana de Lisboa (peso de 32,2%), Algarve e Madeira (ambas com 18,9%).


Popular

CONNECT