Co-fundador do WhatsApp faz campanha para deletar Facebook

Quem deu o conselho foi Brian Acton, em sua conta no Twitter.

A campanha pede que os usuários de mídias sociais cancelem o recebimento não apenas os seus perfis do Facebook, mas também do Instagram e do WhatsApp, que são de propriedade da mesma empresa.

O Facebook vem se envolvendo em diversas polêmicas nos últimos dias.

Acton chegou a trabalhar por um curto período de tempo para o Facebook, uma vez que a empresa que ajudou a fundar, o Whatsapp, foi vendido para a rede social de Marck Zuckerberg em 2014, por 16 milhões de dólares.

A Comissão Federal de Comércio (FTC) dos EUA está atualmente investigando o tratamento do Facebook e alegado uso indevido dos dados pessoais dos usuários.

De acordo com estes relatos, a empresa utilizou os dados privados, obtidos sem consentimento dos utilizadores, para influenciar as eleições norte-americanas em 2016. Isto descreveu como os usuários "receberiam notificações e concordariam com o Facebook compartilhando seus dados com empresas externas".

Um porta-voz da FTC disse: "Estamos cientes das questões que foram levantadas, mas não podemos comentar se estamos investigando". Até o momento, o WhatsApp e Facebook não deram declarações oficiais sobre a publicação no Twitter.

A mensagem de Brian Acton surge na sequência do escândalo divulgado este fim de semana pelos jornais americano "The New York Times" e britânico "The Observer", que envolve a empresa de Mark Zuckerberg e a Cambridge Analytica.


Popular

CONNECT