Exército da Síria promete acabar com os últimos rebeldes de Ghouta

Citando "fontes diplomáticas", o jornal sírio pró-regime Al-Watan adiantou que foi alcançado "um acordo" que prevê o abandono por parte dos rebeldes da sua artilharia pesada antes de deixarem Douma "para a região Norte da Síria". Em um comunicado transmitido pela TV, o porta-voz do Exército disse que as operações militares continuam nos arredores da cidade, controlada pelo grupo rebelde Jaish al-Islam, o último trecho de Ghouta ainda ocupado por insurgentes. Último grupo rebelde aceitou abandonar Ghouta Oriental Aumentar a fonte do artigo Síria.

Neste sábado, o governo de Bashar al-Assad concluiu a retirada do penúltimo bastião rebelde na região, com a saída de 44 mil combatentes e suas famílias.

O regime sírio qualifica de "terroristas" todos os rebeldes armados. Mais de 45.000 rebeldes e civis deixaram Ghouta em 10 dias, segundo o OSDH.

Ao todo mais de 150 mil pessoas fugiram dos combates na região para se juntarem a setores governamentais ou a zonas controlados pelos rebeldes, segundo a Sana.


"Um acordo parcial foi concluído entre o grupo Jaich al-Islam e a Rússia, para permitir a retirada de centenas de civis para Idleb", uma região fora do controlo do regime no noroeste da Síria, disse Rami Abdel Rahmane, diretor do OSDH.

O exército da Síria prometeu no sábado acabar com os rebeldes em um reduto final do bastião da oposição de Ghouta, onde negociações sobre um possível acordo de evacuação estagnaram.

Graças ao apoio militar russo, o regime de Damasco conseguiu mudar o rumo da guerra e conquistar vitórias sobre os rebeldes e jihadistas até reconquistar mais da metade do país.


Popular

CONNECT