Moradores do interior do Paraná relatam tremores após terremoto na Bolívia

Não há informações sobre feridos. A GloboNews mostrou imagens de funcionários que deixaram prédios na Avenida Paulista, na região central da capital.

Em São Paulo, segundo o Corpo de Bombeiros, os prédios da Petrobras, na altura do número 901 da avenida Paulista, e o do Ministério Público foram evacuados. Mas, assim como todos à sua volta, nada sentiu.

Há dez minutos na calçada, após a ordem de evacuação, a secretária Cintia Amaral, 31, disse que um colega disse ter sentido vertigem. E só. No centro, o prédio do Ministério Público estadual também foi esvaziado.

Segundo o Observatório Sismológico de Brasília, os tremores sentidos no Brasil são reflexo de um terremoto de 6,8 graus registrado na Bolívia, na manhã desta segunda.

Conforme informações da Defesa Civil, equipes ainda trabalham para verificar se houve comprometimento de estrutura dos edifícios em que os tremores foram sentidos, mas não há informação de danos ou avarias. No Brasil, não houve terremoto, mas apenas pequenos tremores. A Rede Sismográfica Brasileira detecta as movimentações permanentemente.

Segundo o coordenador do Laboratório de Sismologia do Serviço Geológico do Brasil, Marco Ferreira, o terremoto da Bolívia é considerado de alta magnitude. A terra também tremeu no interior de São Paulo e em Estados do Sul do País. Em setembro do ano passado, por exemplo, um tremor de magnitude 3,5 na escala Richter ocorreu na cidade de Itaperuçu, na região metropolitana de Curitiba, por volta da meia-noite, e foi sentido em um raio de 30 km.

O registrado nesta segunda-feira teve 6.8 de magnitude na Escala Ritcher, o que configura um poder de destruir tudo num raio de 100 quilômetros. Segundo especialistas, moradores de prédios com estruturas mais profundas puderam sentir o tremor de forma mais intensa.

Confira abaixo os procedimentos adotados pelo Corpo de Bombeiros para ocorrências relacionadas a tremores de terra.


Popular

CONNECT