Playboy deixa de circular nas bancas no Brasil

A publicação não será mais vendida em banca de jornal. A decisão marca uma ruptura na forma como a "Playboy" era publicada há mais de 40 anos no Brasil. Com a desistência da Abril em continuar com a marca, a PBB resolveu assumir o título, mas teve que fazer mudanças. "A PBB Editora Ltda informa que reduzirá a publicação da edição imprensa a um exemplar de colecionador por ano - que será on demand, ou seja, números limitados impressos por encomenda", destacou. "Assim sendo, a edição de Verão, lançada no final de 2017, põe fim a era da revista na banca e abre espaço para empenharmos nosso trabalho em outras frentes", diz o comunicado da editora responsável pelas últimas edições desde que a Abril tirou a marca do seu catálogo", diz o texto oficial que foi divulgado. Desde 2017, a revista é lançada a cada três meses. Na capa, a publicação contou com Lu Ferreira. Outras beldades já deram o ar da graça nas capas do editorial, como Grazi Massafera, Xuxa, Hortência, Cláudia Raia, Tiazinha, Deborah Secco, Feiticeira, Bárbara Paz, Cléo Pires, Alessandra Negrini, Mel Lisboa, Juliana Paes e diversas outras.

No ano passado, a edição americana eliminou de vez o nu frontal de suas modelos, fazendo apenas poses sensuais delas.


No mundo, a Playboy também sofreu com a facilidade de encontrar nudez de maneira gratuita na internet.


Popular

CONNECT