Ordem de prisão de Lula atropela planos petistas

"Relativamente ao condenado e ex-Presidente Luiz Inácio Lula da Silva, concedo-lhe, em atenção à dignidade cargo que ocupou, a oportunidade de apresentar-se voluntariamente à Polícia Federal em Curitiba até as 17:00 do dia 06/04/2018, quando deverá ser cumprido o mandado de prisão", anotou. Os detalhes da entrega deverão ser negociados diretamente entre a polícia e a defesa do ex-governante.

Nessa sala, adaptada, existirá uma cama e uma mesa. O ex-Presidente terá uma casa de banho só para si. E não haverá grades nas janelas.

Lula chegou às 19h10 à sede do sindicato.

Líder do MTST (Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto), Guilherme Boulos convocou militantes para "resistirem democraticamente" na frente Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, em São Bernardo do Campo. "Defender Lula é defender a democracia", escreveu a entidade, em nota.

O juiz federal Sérgio Moro deu prazo até esta sexta-feira, 6, ao ex-presidente Lula para se apresentar "voluntariamente" à Polícia Federal em Curitiba, base da Operação Lava Jato.

"Todos a São Bernardo!"

O juiz federal Sergio Moro determinou nesta quinta-feira (5) a prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), condenado por corrupção e lavagem de dinheiro no caso do tríplex do Guarujá a 12 anos e um mês de prisão pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro. No documento, os juízes consideram que já não há pretexto que justifique o adiamento do cumprimento da pena.

Segundo revela o Painel da Folha, o advogado de Lula, Cristiano Zanin, diz que o TRF-4 toma uma "decisão arbitrária".

"Estão contrariando a sua própria decisão do dia 24, quando os três desembargadores determinaram que a prisão só poderia acontecer depois de exaurida toda a tramitação em segunda instância".

- Não trabalhamos com essa hipótese de prisão porque entendemos que a decisão condenatória é frágil e que será reformada com os recursos adequados e porque temos medidas jurídicas para tomar a fim de impedir qualquer restrição dos direitos do ex-presidente Lula - disse Zanin Martins, que deixou o Instituto Lula logo após a entrevista coletiva.

TRF-4 recomenda detenção de Lula O entendimento dos magistrados foi naturalmente diferente do da defesa.

O mandado de prisão foi expedido contra Lula e José Adelmário Pinheiro Filho (o Léo Pinheiro), ex-presidente da construtora OAS e Agenor Franklin Magalhães Medeiros, ex-diretor da OAS pouco antes das 18 horas desta quinta, logo depois de Moro receber o comunicado do TRF-4 sobre o trânsito da ação.

Lembra ainda que, já que o habeas corpus preventivo apresentado pela defesa do ex-Presidente foi rejeitado pelo Supremo Tribunal Federal, não existe "qualquer óbice à adoção das providências necessárias para a execução".

Os magistrados de Curitiba criticaram ainda a possibilidade do uso quase infindo de recursos judiciais de modo a adiar o cumprimento da pena.

"Hipotéticos embargos de declaração de embargos de declaração constituem apenas uma patologia protelatória e que deveria ser eliminada do mundo jurídico", referiram. Esta investigação arrancou em 2016. Ficou também proibido de ocupar cargos e funções públicas por sete anos, tendo assim ficado logo comprometida a sua candidatura às presidenciais de 2019.


Popular

CONNECT