Focus reduz projeções para a inflação e o PIB

Já a projeção para o índice em 2019 subiu de 4,08% para 4,09%.

O valor fica abaixo da Meta Central da Inflação para este ano, estipulado pelo Governo Federal em 4,5%. Para o PIB, estimativa de alta passou de 2,84% para 2,80%. A projeção é de que o PIB registre uma expansão de 2,8% neste ano, contra 2,84% antes, avançando a 3% em 2019, em projeção inalterada no levantamento. Segundo o relatório, a previsão para a inflação de 2018 recuou de 3,54% para 3,53%.

Com isso, a estimativa continua abaixo do centro da meta da inflação, que é de 4,5%. Mesmo assim, a estimativa do mercado está em linha com a meta central do próximo ano e também dentro da banda do sistema de metas (entre 2,75% e 5,75%). Atualmente, a taxa básica de juros está em 6,5 por cento.

Já as estimativas para o crescimento da economia sofreram redução em sua mediana para 2018, de 2,84% para 2,80%, entre os economistas em geral.

O Produto Interno Bruto é a soma de todos os bens e serviços produzidos no país e serve para medir a evolução da economia. Em 2016, o PIB teve uma retração de 3,5%.


Já a estimativa para a Selic seguiu em 6,25% ao ano para o fim de 2018 e em 8% ao ano para o fim de 2019.

Juros. Os economistas do mercado financeiro mantiveram suas projeções para a Selic para o fim de 2018 e de 2019. Deste modo, os analistas seguem prevendo alta dos juros no ano que vem. Em relação ao próximo ano, o setor financeiro continua a esperar um crescimento de 3 pontos percentuais. No caso de abril, a projeção seguiu em 0,33%, ante 0,36% de quatro semanas antes.

A projeção do boletim Focus para o resultado da balança comercial (resultado do total de exportações menos as importações), em 2018, continuou em US$ 55 bilhões de resultado positivo.

A previsão do relatório para a entrada de investimentos estrangeiros diretos no Brasil, em 2018, permaneceu em US$ 80 bilhões.


Popular

CONNECT