Marfrig Global assume controle acionário da National Beef

A empresa brasileira anunciou ontem a aquisição de 51% de participação na National Beef, a quarta maior empresa de carne bovina dos Estados Unidos e dona de 10% de participação nas vendas naquele mercado. O negócio foi fechado por US$ 969 milhões.

"Com a compra, a companhia deve assumir o posto de segunda maior processadora de carne bovina do mundo, com uma plataforma global de produção e um faturamento consolidado de R$ 43 bilhões", informou a Marfrig em comunicado. Na bolsa de valores paulista, a notícia foi bem recebida.

Em relatório, analistas do BTG Pactual avaliam que a operação, à primeira vista, surpreende, considerando as metas agressivas de desalavancagem da Marfrig.

A National Beef foi fundada em 1992, com sede em Kansas City. Os outros 21,24% estão pulverizados no mercado. No ano passado, a dívida total da Marfrig representava 4,55 vezes seu Ebitda - com a aquisição, o indicador cai para 3,35 vezes. A novidade, diz o banco, "é que a Marfrig está falando abertamente sobre a venda integral da Keystone", o que teria um efeito importante na relação dívida líquida/Ebitda.

Além da expansão, a Marfrig tem como objetivo a melhoria nos indicadores de alavancagem.


O segundo é reduzir o nível de endividamento total da companhia, já que os resultados da subsidiária serão 100% consolidados no balanço. "A partir de agora, nos transformamos na empresa brasileira do setor com a melhor saúde financeira, traduzida nos menores índices de alavancagem". A empresa exporta para 40 países, incluindo o Japão e a Coreia do Sul, mercados atualmente fechados às exportações de carne brasileira. Em 2017, a Marfrig apresentou um Ebitda ajustado de 1,7 bilhão de reais. Com a National Beef, o Ebitda passa a ser de R$ 3,4 bilhões.

Os principais executivos da National Beef permanecerão na empresa, que segue sob a gestão de Tim Klein, atual CEO e presidente, disse a Marfrig.

O negócio - A National Beef, que faturou no ano passado US$ 7,3 bilhões, ou R$ 24,3 bilhões, é controlada pela holding de investimento norte-americana Leucadia National Corportation desde 2011, com 79% de participação.

Depois da conclusão da operação, a Leucadia vai transferir o controle acionário para a Marfrig e se manterá como acionista minoritária da empresa, com uma fatia de 31% do capital total, disse a Marfrig, em comunicado. A US Premium Beef, associação de produtores norte-americanos, ficará com 15 por cento e outros acionistas com os 3 por cento restantes.

Com a aquisição da National Beef, a Marfrig alcança dois objetivos traçados em seu plano estratégico.


Popular

CONNECT