Advogado visita Lula e diz que petista está indignado com a situação

A Polícia Federal destaca que os serviços não foram paralisados.

O ex-presidente está recluso em uma cela de 15 metros quadrados com banheiro privativo e uma televisão, onde provavelmente assistiu, nesta tarde, à final paulistana que seu querido Corinthians ganhou do Palmeiras (1-0).

Manifestantes impediram por mais de duas horas que Lula deixasse a sede do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, em São Bernardo, onde estava desde quinta (5), quando teve a prisão decretada.

A ex-presidente Dilma Rousseff também entrou no prédio após seu discurso, mas por uma entrada lateral. Barricadas foram improvisadas por manifestantes em todas as saídas do edifício.

Lula é o primeiro ex-presidente (2003-2010) do Brasil preso por um delito comum. Contudo, Lula acabou por enfrentar a multidão e saiu do recinto.

Lula, com 72 anos, destacou que vai cumprir o mandado para fazer a "transferência de responsabilidade" para mostrar que o "problema" do país não é ele, mas sim aqueles que não gostam do "povo", do PT, dos partidos políticos de esquerda, entre outros. Vou sair de peito estufado de lá [da carceragem da PF, onde ficará preso], porque vou provar a minha inocência.

"Obrigado, Timão #equipeLula", dizia uma mensagem postada em sua conta de Twitter após o jogo, com uma fotografia antiga de Lula segurando uma bandeira do time. Não querem que o povo mais humilde ascenda um degrau na escala da sociedade, do bem-estar.

A Polícia Federal disponibilizou um jato para o deslocamento de Lula entre São Paulo e Curitiba.

O discurso desta tarde parece ter galvanizado os apoiantes de Lula da Silva, que além de não terem desmobilizado bloquearam a saída do antigo Presidente e dos elementos da Polícia Militar que já se encontravam dentro da sede do Sindicato dos Metalúrgicos.

Dona Marisa, que morreu em fevereiro de 2017 por causa de um AVC, faria 68 anos de idade hoje. "Considerando que a prisão cautelar de um ex-presidente da República não deixa de envolver certos traumas, a prudência recomenda que se aguarde o julgamento pela Corte de Apelação antes de se extrair as consequências próprias da condenação".

Na sexta-feira, o Supremo Tribunal de Justiça havia negado também um habeas corpus da defesa, que questionava a decretação da prisão antes que os advogados pudessem apresentar seus últimos recursos - os chamados "embargos dos embargos" no Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4).


Popular

CONNECT