MPF quer remeter a SP inquérito contra Alckmin na Lava-Jato

Na pasta de Planejamento, França colocou o jornalista Maurício Pinto Pereira Juvenal, seu braço direito e ex-chefe de gabinete no Desenvolvimento Econômico.

O pedido para que os autos mudem de instância foi assinado pelos procuradores Adriana Scordamaglia, Ana Cristina Bandeira Lins, Anamaria Osório Silva, André Lopes Lasmar, Daniel de Resende Salgado, Guilherme Rocha Goppert, Janice Barreto Ascari, Luís Eduardo de Araújo, Lúcio Mauro Fleury Curado, Thaméa Danelon e Thiago Lacerda Nobre, que integram a força-tarefa paulista da operação.

"Segundo os ex-executivos da Odebrecht, o então tesoureiro foi o destinatário dos pagamentos apontados nas planilhas da empreiteira ao lado dos codinomes "Salsicha", M&M" e "MM-Partido".

Com o fim do foro especial após o tucano renunciar ao governo paulista para se candidatar à Presidência, cabe ao STJ (Superior Tribunal de Justiça) reconhecer que não tem mais competência originária para processar e julgar Alckmin, e remeter os autos à autoridade judicial que reputar competente.


À época, Cumplido era o responsável pelo contrato de construção da Linha 6 - Laranja do Metrô e encarregado de liberar as transferências ilegais. Relacionado à Lava Jato, a investigação corre sob sigilo.

A força-tarefa do Ministério Público Federal (MPF) em São Paulo pediu ao vice-procurador-geral da República, Luciano Mariz Maia, que remeta o mais rapidamente possível aos procuradores paulistas o inquérito que apura suspeitas de financiamento ilegal de campanhas e lavagem de dinheiro do agora ex-governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB).

França também nomeou nesta quarta-feira o presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de Santo André e Mauá, Cícero Firmino da Silva, para assumir a Secretaria do Emprego e Relações do Trabalho.

O antecessor na pasta, José Luiz Ribeiro, também indicado por Paulinho no governo Alckmin, saiu para disputar uma vaga na Câmara dos Deputados pelo Solidariedade.


Popular

CONNECT