Destruição Total: Crítica | Rampage

Produção baseada no jogo de videogame de mesmo nome, a aventura "Rampage - destruição total" é a única novidade nas salas de cinema de Sorocaba.

Veja o vídeo acima sobre os lançamentos da semana e leia mais abaixo.

O longa começa nos apresentando o primatologista Davis Okoye, personagem de Johnson, um homem recluso e extremamente dedicado aos animais, principalmente a George, um primata albino que apesar de feroz, responde aos comandos de Okoye e se comunica por sinais.

Nele, elas interpretam a antiga história de uma escritora consagrada envolvida com uma admiradora obsessiva que transforma a sua vida.

O animal é gentil e dócil, mas tem sua personalidade e seu físico transformados por um experimento genético mal sucedido que o transforma em uma fera gigante de alto potencial destrutivo.

O diretor Brad Peyton repete a parceria com The Rock, com quem trabalhou anteriormente em Viagem 2 e Terremoto - Falha de San Andreas. Outro reencontro em "Rampage" é de Jeffrey Dean Morgan e Malin Åkerman, que estiveram em "Watchmen: O Filme" (2009). O experimento faz também com que um lobo e um crocodilo tenham o mesmo destino. No decorrer do longa-metragem, Okaye tenta conseguir um antídoto para impedir que seu amigo provoque uma catástrofe na cidade de Chicago. The Rock também possui ótima dinâmica com o gorila George, as piadas entre os dois são muito engraçadas e o gorila tem um senso de humor bastante sarcástico.

Longe de ser um filme revolucionário e com cenas de ação fantásticas, a melhor maneira de assistir Rampage é ignorar a história e focar no espetáculo da destruição.


Popular

CONNECT