Justiça multa manifestantes de Lula em Curitiba

O ex-presidente Lula tomou, nesta sexta-feira (13/4), seu primeiro banho de sol na prisão da Lava Jato.

O PT, a CUT e os demais movimentos sociais cujos militantes estão acampados próximo à Polícia Federal em Curitiba, onde o ex-presidente Lula está preso há uma semana, afirma ter recebido com "indignação" a notícia sobre a decisão do juiz substituto da 3ª Vara da Fazenda Pública, Jailton Juan Carlos Tontini, de aplicar uma multa de R$ 500 mil por dia para quem ficar mobilizado no local. A prefeitura alega que eles causam transtornos e a precarização na prestação dos serviços públicos aos moradores pelo bloqueio às ruas. No mesmo dia, foi expedida uma liminar da Justiça estadual proibindo a ocupação da região, o que, até o momento, não teve efeito prático. Os caminhões de lixo também não estariam conseguindo passagem. A prefeitura indicou o parque do Atuba para a realização das manifestações.

Já no sábado, apoiadores do petista, como o MST (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra) e a CUT (Central Única dos Trabalhadores) começaram a montar um acampamento na região. Ainda assim, a militância se manteve em frente à PF. Em nota, a Secretaria da Segurança Pública do Paraná afirma que mantém contato permanente com os manifestantes e que o Departamento de Inteligência do Estado do Paraná monitora as manifestações. O Sindicato dos Delegados da Polícia Federal também solicitou a transferência de Lula para outro local com mais condições de segurança para a população e servidores. O juiz também impede manifestantes contra Lula, no entanto, só há manifestantes em defesa do ex-presidente no entorno.

O pedido foi feito pela Prefeitura de Curitiba. As decisões devem ser tomadas nos próximos dias.


Popular

CONNECT