Audiência marcada! Scarpa já sabe o dia que pode voltar ao Palmeiras

Segundo o comentarista Fabio Sormani, que trouxe em primeira mão a notícia, o Ministério Público do Trabalho liberou o parecer de forma imediata para que Scarpa voltasse ao Palmeiras antes do prazo de dez dias dado pela juíza. Quem perder poderá recorrer depois.

No dia 12 de janeiro, a juíza Dalva Macedo negou o pedido de liberação antecipada enquanto o processo estivesse em andamento e marcou uma audiência para ouvir ambas as partes. O atleta e seus advogados preferiram não dar declarações na saída.

- Sempre. Tudo depende das partes e conciliarem.

A expectativa do estafe de Scarpa é que o parecer seja favorável, ou seja, que o vínculo com a equipe carioca volte a ser considerado inválido em função de uma dívida trabalhista que chegou a ser superior a R$ 9 milhões.

Até uma definição da magistrada, Scarpa seguirá como jogador do Fluminense, impedido, portanto, de atuar ou mesmo treinar pelo Palmeiras - clube que defendeu por oito jogos em 2018.

Isto fez com que o vínculo de cinco anos com o Palmeiras fosse suspenso, e o contrato com o Fluminense novamente registrado na CBF. Nós ouvimos o depoimento do atleta para confirmar que o Fluminense estava desde dezembro acordado para quitar tudo em janeiro, como acabou acontecendo - alegou Rui Meier, advogado do tricolor.

Sem se reapresentar ao Flu, Scarpa não joga desde 11 de março. Enquanto seu futuro não é definido, ele mantém a forma física em uma academia em Hortolândia, interior de São Paulo. Ao menos, contratualmente, é esse o entendimento da Justiça, que, em audiência realizada na 70ª Vara do Tribunal Regional do Trabalho-RJ, nesta segunda-feira, voltou a negar o pedido de liberação do jogador.


Popular

CONNECT