Ciro aposta que PT lançará candidato alternativo próprio à Presidência

"O PT naturalmente tem seu candidato", disse Ciro antes de discursar para empresários e executivos mineiros em um evento no início da tarde desta segunda-feira em Nova Lima, na região metropolitana de Belo Horizonte.

Segundo pesquisa Datafolha divulgada no último fim de semana, Luiz Inácio Lula da Silva continua liderando a corrida ao Palácio do Planalto mesmo preso. O ex-ministro do governo Lula disse que os partidos de esquerda têm suas peculiaridades, mas que diante da polarização acabam se unindo em algum momento.

A direção do PDT, incluindo Ciro, pediu autorização da Justiça para visitar Lula na prisão em Curitiba. Ele tem sido considerado como um nome que os petistas poderiam vir a apoiar. "Não cometerei a indelicadeza de tratar uma palavra sequer de política com ele", afirmou. Segundo Ciro, o objetivo não é falar de política, mas para estar com um político com quem ele mantém relações há 30 anos.


Criticado por parte da esquerda por não ter participado do ato de resistência à prisão de Lula em São Bernardo do Campo, Ciro questionou por que deveria estar presente, mas explicou que estava em compromisso no exterior.

Apesar da proximidade, Ciro não espera herdar o apoio nem os votos do petista.

"Estamos cansados de saber que o PT não apoiará ninguém", declarou o pré-candidato do PDT, que ainda acrescentou que o projeto petista não é, "definitivamente", o dele. A afirmação é do pré-candidato do PDT, Ciro Gomes. Ele se considera competitivo mas afirma que o momento ainda vai mudar com as definições das candidaturas. Para ele, o magistrado ocupa o lugar que foi do apresentador de TV Luciano Huck. "Na democracia a gente se apresenta e as pessoas querem ouvir o que seremos capazes de produzir para eles", disse.


Popular

CONNECT