Três palestinos mortos por forças israelenses em Gaza

A tentativa de cruzar a barreira de segurança aconteceu após o líder do Hamas, segundo refere o "The New York Times", ter apelado aos palestinianos não temerem a morte.

O exército israelita informa em comunicado, citado pelo jornal "Times of Israel", que os manifestantes tentaram queimar a vedação que delimita fronteira e atiraram explosivos, dispararam tiros e, só depois, os militares agiram "de acordo com as regras delineadas".

A "Marcha do retorno" mobilizou novamente milhares de palestinos nesta sexta-feira (27) em cinco pontos diferentes ao longo da fronteira, segundo jornalistas da AFP.


Os manifestantes denunciam o bloqueio contra Gaza imposto por Israel, alegadamente para conter o Hamas, que domina o território.

A "marcha" reivindica o direito dos palestinos a regressar às terras de onde foram expulsos ou fugiram durante a criação de Israel em 1948.

"Dois suspeitos tentaram se infiltrar em Israel a partir do sul da Faixa de Gaza e danificaram a cerca de segurança [da fronteira]", indicou o Exército no Twitter. Os soldados israelitas ripostam através de meios antimotim ou disparam balas reais sobre os manifestantes. Diversas ONGs acusaram o Exército de uso excessivo de força.


Popular

CONNECT