Correios fecham 2017 com lucro de R$ 667 milhões

O valor foi divulgado nesta quarta-feira (9) em uma audiência pública na Câmara dos Deputados pelo ministro da Ciência, Tecnologia e Comunicações, Gilberto Kassab, e pelo presidente da estatal, Carlos Fortner.

Em nota, os Correios informaram que o balanço da empresa foi aprovado pelo seu conselho fiscal e será agora submetido à deliberação do conselho de administração. O Tribunal Superior do Trabalho (TST), entretanto, autorizou os Correios a adotar a cobrança.

Reestruturação Nesta semana, a empresa confirmou a intenção de fechamento de 513 agências, com demissão de até 5,3 mil funcionários.

No entanto, mesmo com o lucro, o governo continua empenhado na gestão da empresa. "Esse balanço (de 2017, que mostra volta ao lucro) e o apoio dessa casa nos permitiram tirar da pauta essa questão".


Segundo Kassab, a privatização deixou de ser debatida porque a empresa teve um lucro de mais de R$ 600 milhões em 2017 e se mostrou "viável". Com anos consecutivos de prejuízo - resultados negativos de R$ 2,12 bilhões em 2015, e R$ 1,48 bilhões em 2016, por exemplo -, o objetivo de recuperação vai sendo gradativamente alcançado graças às ações adotadas.

- Se tivéssemos entregando um balanço negativo, não há candidato a presidente que não assumiria o compromisso de privatizar ou pelo menos estudar a privatização - destacou.

Os Correios voltaram ao azul. Para Gilberto Kassab, é preciso ainda "melhorar a eficiência" dos Correios.


Popular

CONNECT