Paulo Branco vai processar o Festival de Cinema de Cannes

Terry Gilliam, génio por trás de filmes como "Os 12 macacos", "Brasil", e um dos mais carismáticos membros dos Monty Python, não escondeu a tristeza e até, segundo a imprensa internacional, teve recentemente um AVC, possivelmente motivado por este episódio.

No filme, um projeto antigo de Terry Gilliam que sofreu vários percalços nos últimos anos, entram atores como Jonathan Pryce, Adam Driver, a atriz portuguesa Joana Ribeiro, Olga Kurylenko e Stellan Skarsgard, e a rodagem ocorreu em Portugal e em Espanha. Paulo Branco explicou que não vai recorrer da decisão do Tribunal de Paris, sobre a providência cautelar que tentou impedir a exibição do filme em Cannes, mas tenciona processar o festival pelos possíveis danos decorrentes da estreia marcada para o dia 19.

De acordo com a mesma notícia, o tribunal também ordenou que Gilliam, o agente de vendas Kinology e a Star Invest Films France paguem cada um 1.500 euros a Branco, como forma de custear parte das suas despesas legais.

"Esta projeção constitui um problema manifestamente ilícito, mas este problema será suficientemente reparado por enquanto pelo anúncio que o festival terá que fazer antes da exibição", acrescentou a advogada do produtor português. "O juiz teve uma decisão de uma grande sabedoria, porque deu a possibilidade de o festival passar o filme, se pagarem e comunicarem publicamente que os direitos continuam da Alfama e do Paulo Branco". Ontem (9 de maio) o tribunal francês indeferiu o pedido do produtor português Paulo Branco e da sua produtora Alfama Films Production de proibir que o filme fosse exibido durante a noite de encerramento do Festival de Cannes, no sábado 19 de maio.

Branco, por sua vez, alega ser o único detentor dos direitos do filme, exigindo indenização.


Segundo a publicação Indiewire, a Amazon Studios, que chegou a financiar o filme, recuou na intenção de fazer a estreia comercial nos Estados Unidos, uma decisão que deverá estar relacionada com a disputa judicial em torno do filme.

Em Portugal não há ainda data de estreia definida, mas a distribuição foi assegurada pela NOS.

Esta adaptação livre de "D".

É até abusar de humor negro num caso tão sério, mas se há um filme amaldiçoado, este é "The Man Who Killed Dom Quixote" (O Homem que Matou Dom Quixote). Os médicos estimam que o cineasta não recuperará a tempo de marcar presença no festival que esta terça-feira principia.


Popular

CONNECT