Venda de móveis no varejo cai 6,3% em março

Na passagem de fevereiro para março o comércio varejista brasileiro teve uma alta de 0,3% no volume de vendas.

Com isso, o varejo acumulou altas de 3,8% no ano e de 3,7% nos últimos 12 meses. O resultado veio depois da queda de 0,2% de janeiro para fevereiro, segundo o dado da Pesquisa Mensal de Comércio (PMC) que foi divulgado nesta sexta-feira (11), no Rio de Janeiro, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O destaque no mês ficou por conta das vendas de combustíveis e lubrificantes, que cresceram 1,4% após quatro meses de quedas. Em março ante fevereiro, o Brasil viu suas vendas se elevarem em 0,3%.


Por outro lado, os recuos frente a fevereiro foram registrados em equipamentos e materiais para escritório, informática e comunicação (-5%) e livros, jornais, revistas e papelarias (-1,2%), ambos com avanços, respectivamente, de 12% e 1,9% acumulados entre janeiro e fevereiro.

Os economistas avaliam que, assim como a atividade em geral, o varejo mostrou desempenho aquém do esperado pelo mercado no primeiro trimestre do ano.

Ajudou nisso a Páscoa em março e a alta de 12,3% nas vendas dos supermercados, enquanto os artigos de informática e comunicação constituíram uma das principais forças negativas no período e caíram 5% depois da boa alta de 12% no mês anterior. Na comparação com março de 2017, o volume de vendas cresceu em média 7,8% nas dez atividades pesquisadas do varejo, registrando, nessa base comparativa, o melhor mês de março desde 2012, quando chegou a +10,3%. O setor de móveis e eletrodomésticos (0,1%) praticamente repete o patamar de vendas de fevereiro 2018.


Popular

CONNECT