ONU envia equipe para combater surto de ebola na RDC

A Organização Mundial de Saúde informou nesta segunda-feira (14) que o vírus do ebola matou 19 pessoas entre 4 de abril e 13 de maio na República Democrática do Congo.

No último dia 8, o governo da RD do Congo declarou um surto de ebola com dois casos confirmados na região de Bikoro, no noroeste do país, onde também foram registradas as mortes de 18 pessoas com sintomas aparentes da doença.

O Ministério da Saúde do Congo e a OMS rastreiam os contactos das vítimas e aplicam uma vacina experimental contra o Ébola.

Segundo boletim divulgado pela Organização Mundial da Saúde (OMS), mais de 30 casos já foram registrados, entre confirmados, prováveis e suspeitos.


Equipes da OMS, Unicef, Cruz Vermelha e Médicos sem Fronteiras se deslocaram para a região onde surgiu o surto, um local remoto a 280 quilômetros da capital provincial e com uma infraestrutura muito pobre. "Faz parte das nossas prioridades", afirmou a directora da OMS para África, Matshidiso Moeti.

A OMS e o governo congolês estão negociando o envio ao país africano da vacina experimental que começou a ser utilizada em 2014 no surto ocorrido em Guiné, Serra Leoa e Libéria, que resultou na morte de 11.300 pessoas.

O presidente Joseph Kabila também se reuniu com o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus; em Kinshasa, no domingo. A Aliança para a Imunização já anunciou que financiará as vacinas.

De acordo com a OMS, este é o nono surto de ebola na República Democrática do Congo desde que o vírus foi descoberto em 1976 no país, que na época se chamava Zaire.


Popular

CONNECT