Marca de cosméticos Lush encerra operação no Brasil

A marca britânica de cosméticos naturais Lush, conhecida pelos produtos coloridos e pelas lojas de cheiro marcante, anunciou na tarde desta segunda-feira (14) que deixará o Brasil. "Apesar do crescente aumento de vendas, a alta carga tributária e a prolongada recessão econômica, somados a instabilidade política, tornou impossível à Lush continuar investindo e lucrar no país", disse a companhia em comunicado.

"O Brasil é um mercado muito difícil para a operação uma marca britânica". Ela opera em 49 países com 932 lojas e 38 lojas virtuais. Ela milita pelo fim dos testes de cosméticos e produtos de beleza em animais e tem preferência por ingredientes frescos, como frutas e vegetais orgânicos, na fabricação dos seus produtos. É com grande tristeza que anunciamos o fechamento da Lush no Brasil, a partir de 20 de junho de 2018. Até lá, os produtos serão vendidos pela metade do preço nas lojas da marca, exceto a linha Charity Pot e acessórios. A previsão inicial era manter as unidades funcionando até 20 de junho, período em que a empresa de cosmético venderia todos os itens com 50% de desconto.

Vale lembrar que projetos brasileiros podem continuar se inscrevendo para obter financiamento pelo programa Charity Pot, fundo criado a partir dos lucros obtidos com a venda do creme hidratante de mesmo nome e com foco em atividades de regeneração da terra, sociedade e economia.


Além disso, apesar de não ser totalmente vegana por contar com cosméticos que usam ingredientes derivados de animal (como leite, mel, lanolina e ovos), a Lush é uma simpatizante engajada na causa e cerca de 80% do seu catálogo de cosméticos são veganos e vem com o selo "Vegan" na embalagem.

Agora, porém, a empresa se despede novamente do Brasil afirmando que "adoramos atendê-los e gostaríamos de agradecer toda a paixão e entusiasmo de vocês sobre nossa marca ao longo desses anos" e negando que o encerramento das operações tenha qualquer ligação com um processo que a empresária Sandra Isper Rocha, responsável por trazer a marca pela primeira vez ao Brasil, está movendo contra a marca.

Fundada em 1995, seus produtos não são testados em animais, vegetarianos e feitos de forma artesanal.


Popular

CONNECT