Sporting. Conselho diretivo reunido de emergência

A SÁBADO tentou obter declarações do presidente da mesa da Assembleia Geral, não tendo conseguido.

O presidente da mesa da assembleia geral do Sporting, Jaime Marta Soares, considerou hoje um "exagero" estar a falar-se de crise no clube, escusando-se a confirmar se a equipa técnica liderada por Jorge Jesus está suspensa.

Objectivo? Demarcarem-se da actuação do presidente do Sporting e assim forçar a demissão de Bruno de Carvalho, que continua a rejeitar demitir-se apesar do momento delicado que a instituição atravessa. De resto uma decisão que deverá ser seguida pelo Conselho Fiscal e alguns membros do Conselho Executivo planeiam também entregar um pedido de demissão.

Minutos depois o Conselho Fiscal do Sporting anunciou também a sua queda. Quatro dos dez elementos do Conselho Directivo do clube de Alvalade apresentaram já a demissão. "É uma reunião que compete à SAD e ao presidente Bruno de Carvalho e ele vai com certeza resolver as coisas a contento do Sporting", afiançou o dirigente, enquanto abandonava Alvalade.


Os responsáveis demissionários indicam que têm "acompanhado com preocupação os factos ocorridos e que em nada dignificam a história, a imagem e os interesses do Sporting".

Na sequência da invasão à Academia 'leonina', a GNR deteve 23 suspeitos, apreendeu cinco viaturas ligeiras, vários artigos relacionados com os crimes e recolheu depoimentos de 36 pessoas, entre jogadores, equipa técnica, funcionários e vigilantes ao serviço do clube.

Durante a tarde de hoje, cerca de meia centena de indivíduos, de cara tapada, alegadamente adeptos 'leoninos', invadiram a Academia de Alcochete e, depois de terem percorrido os relvados, chegaram ao balneário da equipa principal, agredindo vários jogadores, entre os quais Bas Dost, Acuña, Rui Patrício, William Carvalho, Battaglia e Misic e outros membros da equipa técnica.

O Ministério Público disse na quarta-feira que os detidos pelas agressões a futebolistas do Sporting são suspeitos de práticas que podem configurar crimes de sequestro, ameaça agravada, ofensa à integridade física qualificada e terrorismo, entre outros.


Popular

CONNECT