Polícia faz buscas em Alvalade por suspeitas de corrupção — Sporting

A Polícia Judiciária realiza diversas ações de busca nas instalações do Sporting, designadamente na SAD, em Alvalade, no âmbito da alegada corrupção quanto ao andebol.

Estão a decorrer buscas na SAD do Sporting, esta quarta-feira, avança o Correio da Manhã.

"A operação, que envolveu 40 elementos da Polícia Judiciária, incluiu cerca de uma dezena de buscas domiciliárias e em clube desportivo", adianta o comunicado.

Na mira da Justiça está um alegado esquema que passaria pela compra de árbitros de andebol e pagamentos a jogadores na época passada e, sobretudo, na região norte do país pelo que a operação está a ser liderada pela PJ e pelo Ministério Público do Porto.


De acordo com o Jornal de Notícias, outros jogos sob suspeita são os realizados com equipas como o Feirense, Chaves, Tondela, Aves e Estoril. Os valores de pagos poderão ter atingido 12 500 euros.

O empresário entregou ao MP mensagens em que comenta com os dois interlocutores o comportamento dos jogadores de futebol alegadamente comprados, tendo sido dadas instruções no sentido de darem "espaço ao Bas Dost", cita o JN.

Os detidos são André Geraldes (director do futebol do Sporting), Gonçalo Rodrigues (funcionário do Sporting que suspendeu funções esta terça-feira), Paulo Silva (o denunciante deste esquema) e João Gonçalves (o intermediário). Segundo publicou o CM, o alegado esquema de corrupção no andebol envolvia "a compra de equipas de arbitragem, quer para os leões ganharem, quer para o Futebol Clube do Porto, com o qual disputaram o campeonato até ao fim, perder" e abrangeu a época de 2016/17, ganha pelo Sporting. Os indícios de corrupção relativos a jogos do Campeonato Nacional de Andebol com o objetivo de favorecer o Sporting (o clube vencedor da competição) são encarados pelos investigadores como sendo mais robustas.

Nesta mesma nota, o clube diz tratar-se do "primeiro capítulo de uma campanha, mais uma, que visa exclusivamente denegrir a imagem da instituição Sporting". No Estádio José de Alvalade, os inspetores da PJ do Porto recolheram informação documental nos postos de trabalho e espaços utilizados por André Geraldes e Gonçalo Rodrigues. "Nada tenho a esconder e estou inteiramente disponível para colaborar no apuramento de toda a verdade", escreveu André Geraldes na sua página da rede social Facebook.


Popular

CONNECT